10 de dez de 2009

Alguém queimará meus poemas...


Hoje sou isto que aqui perdura, nesta longa e sofrida existência fiz do eterno o meu próprio instante, e do instante o passado a qual regresso com medo do futuro que ameaça chegar e destruir toda a beleza do que se faz presente na minha historia...
Meu nome foi escrito nas cinzas, as mesmas que um dia se unirá ao meu corpo voluptuoso...
Ando como aquele rio que flui resvalando entre as pedras, padeço de futuros incertos enquanto vivo o agora de outros tempos...surge em meu ser uma força que vem de mundos que não sei onde se situa, ainda sei que o místico possui razão e o poeta possui a emoção...
ainda danço os mesmos passos que outrora a bailarina me ensinou e me conduziu por entre as folhas secas que bailavam no ar, se eu soubesse que ela era tão lírica,eu mesmo entraria na gruta para salva-la de seu destino, entre lágrimas perderia minha historia por seus passos ...
guardo para meu ser os versos que o mundo não pode compreender, nos silêncio de auroras passadas plantei sementes para posteridade.
Aqui acaba o que em meu ser se iniciou, queria eu voar, mas mim prendo a solidão dos cais que nem mesmo cheguei a conhecer...alguém queimará meus poemas.
Um dia serei esquecido por aqueles que nem mesmo chegaram a mim conhecer, eis o meu destino, padecer levemente sobre meus próprios versos...

sandrio cândido.
fonte da foto:http://www.publicdomainpictures.net/view-image.php?image=1161&large=1&jazyk=PT

3 comentários:

José Miguel de Oliveira disse...

ser isto que perdura para quê? se não houver outra voz do outro lado que nos leia! (Bom texto este - existencialmente falante, um texto vivo, jamais capaz de se apagar a si próprio)

poeta do inverno disse...

a pergunta torna se pertinente quando olhamos qual é o trabalho destes que procuram ver o mundo através das palavras...

angel disse...

Não creio que alguém queimará seus poemas. Só se forem com os olhos, mas certamente as lágrimas se ocuparão de apagar o fogo. Eles retratam sua alma e ela traduz aquilo que tem de melhor. É um jovem sonhador e vivo no presente de muitos futuros incertos. viva o presente, na verdade o futuro é incerto mesmo.
Adorei suas poesias.
Eu , com certeza, não as queimarei.
São muito lindas.
abraço
angela