16 de dez de 2009

Ballet!

Tenho a sensação de estar parado
Em um só lugar... amar o tempo
Que por meu corpo passa suavemente
Como o vento que toca o meu ser,
Em um livre vôo... Dançar!

De repente meu destino se envolve
Com o lento passo da bailarina
E minha alma se abre para o som
Assim como as flores se abrem
Para a primavera que renasce.

Sublime momento de paixão!
Um sonho coreografado, ritmado.
Numa eterna procura da poesia
Em cada movimento uma essência
Que surge da infinita beleza...

Construir com pequenos fragmentos
O caminho antes esquecido, perdido!
No palco permitir que se ouça a voz
Que fala através dos gestos e surge
Da alma e do coração e no palco
Faz se presente, agora e para sempre!

sandrio cândido

Um comentário:

Lídia Borges disse...

Um bonito bailado ao som suave das emoções.