21 de dez de 2009

E na noite paulistana.

E na noite paulistana
Mistura se os ritmos
As cores e amores...

Os garis trabalham onde
Os pedintes adormecem.
Os depressivos choram
Os solitários pensam
Os pastores clamam
Pela eterna aurora!

Os casais se possuem
Os boémios se embriagam
Os jovens dançam
Os músicos compõem
Os poetas escrevem
Sobre a nova aurora!

E na noite paulistana
Ninguém consegue ver
A estrela cadente
Então todos esperam
Pela nova aurora!

sandrio cândido.

Um comentário:

Flávia Diniz. disse...

Nossa, que lindo!

Beijos.