26 de dez de 2009

É preciso continuar!

O semáforo está vermelho
Impedindo que continue
A caminhada para o futuro!
Antes do por do sol
Uma angustia me toma
Tenho saudades do passado,
Mas é preciso continuar...

Na procura de algo concreto
Que preencha o meu vazio
Perco o tempo... Olho as paredes
Elas querem me falar algo,
Mas sua voz se cala nas sombras
De vagos e distantes pensamentos
Que assombra todo o meu existir...

As paredes guardam todos os segredos
Que as fotografias não captaram...


Abstratos sentimentos me possuem!
Perco o equilíbrio e caio sobre as pedras
Que compõem a calçada cinza,
De joelhos observo o céu
Pareço um monge meditando...
Mas não há tempo para observar
É preciso continuar...

O céu não me mostrou a verdade
E temo possuir toda a verdade
Melhor será continuar...


A noite surge para o meu ser,
Constelações parecem sorrir.
Mas algo ainda me falta
Será a verdade ou a liberdade?
Sinto o cansaço da existência,
E uma voz me fala: tu es livre,
Escreve porque tu es livre!
Ao escrever me sinto livre...

Se a verdade me possuir
Alguém conseguirá me entender
Melhor será possuir a reticência!


O semáforo abre, está verde!
Despeçam todos os pensamentos
Sou apenas um entre a multidão
Será vã toda a vida, vejo a rua
E as paredes já se calam, é noite
Daqui a pouco outros segredos
Tomarão o seu pó e outro poeta
Vai está nas ruas pensando...
Seja aqui, seja em Portugal!

2 comentários:

Poeta do Penedo disse...

Seja aqui ou no Brasil, entre o momento presente em que o semáforo caiu no vermelho e o momento futuro em que abrirá para o verde, o homem pensa no que já fez e no que poderá ainda vir a fazer, no que ainda tem para fazer. E ao abrir o verde, o que foi o seu futuro é agora o seu presente. E o ritmo da vida não pára. Que nesse ritmo floresçam as expectativas,porque nelas está a esperança. Mas essencialmente o que é mesmo preciso, fundamental, é mesmo continuar. Abriu o verde, a vida arranca de novo.
Um belo poema.

poeta do inverno disse...

e no sofrimento de vozes que não se calam encomtramos o balsamo para a dor...obrigado atodos pela visita