28 de dez de 2009

Reflexo!

Vejo meu rosto no espelho
Mas não reconheço meu ser.
Todos os corpos são iguais
São rosas ou são nus?

Preciso encontrar a alma
Que adormece em meu ser...
Existo para a eternidade
Porem vivo para a morte!

Todos os corpos bailam
Como pipas coloridas
No céu azul, bailam lentas
Para receber os aplausos
Em seu ultimo ato...

Todas as almas adormecem
Esperando a aurora final
Quando enfim acordam
Para viver a eternidade.


Vejo meu rosto no espelho
Mas não reconheço meu existir
Reconheço apenas um corpo
E fujo da imagem refletida
Para buscar o rosto escondido...

Todos os corpos são iguais
São nus ou são rosas?

Sandrio cândido.

Um comentário:

Tânia Marques disse...

Adorei seu blog. Um feliz ano de 2010! Grande beijo.