8 de jan de 2010

Fernando Pessoa - MAR PORTUGUÊS

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!

Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.

Quem quere passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

Um comentário:

Poeta do Penedo disse...

Do nosso imenso Fernando Pessoa, poeta do mundo. Dele existem dois poemas que são algo de tremendamente belo. Hei-de um dia de os publicar, não sei se o meu amigo os conhecerá.
Com amizade.