14 de jan de 2010

porque, sofia,porque?

Se por vezes alguns detalhes nos inquietam, por outras procuramos respostas para as perguntas e esquecemos que existe perguntas para as respostas, parece que tudo está feito e consumado e já não há tempo para um novo inicio, para um despertar mais sonoro e comtemplativo.
Devo pensar no tempo como tempo, ainda que tempo seja algo que vá alem do relógio cronometrado.sim, sei que parece loucura tudo que está escrito aqui, mas saiba que há maior loucura em não deixar que seja escrito, quantas vezes interrompi o ciclo das palavras com medo do que elas desejavam me falar, hoje sentado sobre a minha cama, com um diário de anotações,percebi que mesmo sem escrever,estas palavras estavam escritas no meu existir, sim, viver é demasiadamente belo e louco.
Ainda não aprendi a despir os véus da vida e assim mergulho na escrita e na leitura e muitas vezes nas perguntas, afinal sei que esta é a única arma com a qual devo lutar pelos meus e outros ideais, somente através das palavras é que chegarei a ser um dia um ser capaz de defender alguém justamente. Hoje não, hoje ainda me falta algo, talento? Sei que não, até mesmo porque a escrita deve ser para meu ser o que disse a clarisse lispector: escrever, humildade e técnica.
Se por hora tudo é mistério, no futuro espero que ela me responda ou que a vida me responda com seus atos e com minha historia, afinal agora é tempo apenas de refletir nas perguntas e não nas respostas, ao menos para meu ser, para meu existir.
poeta do inverno.

deve se ler este pequeno texto como seguimento do ainda sou jovem.

13 comentários:

Poeta do Penedo disse...

Caro poeta do inverno
quando jovens como você aprofundam as questões da vida, é natural que surjam muitas dúvidas, imensas dúvidas. Não queira saber o que a vida ainda lhe não ensinou, porque ainda não teve tempo. Descanse, meu amigo. O que hoje são dúvidas, amanhã serão certezas, através da experiência. Mas muito mais preparado para receber as lições da vida está o jovem, como você, receptivo a essas lições.
Com amizade

Fernanda Santiago Valente disse...

Nossa vida realmente corre atrás de perguntas, mas quando há incertezas, escreva! Descreva! A vida é poesia.

beijos

Varda disse...

Tudo depende da pergunta certa a se fazer e não da resposta!

sandrio cândido. disse...

poeta do penedo, novamente vem me saudar com palavras que animam e me ajuda na reflexão diaria, quanto ao tempo concordo que ainda não o tive suficientete e que as certezas virão um dia depóis de ter percorrido este caminho de liçoes, ser recpetivo é para meu ser uma das primeiras formas de aprendizagem... muito obrigado.
abraços deste seu amigo poeta sandrio cândido ou poeta do inverno.

sandrio cândido. disse...

fernanda a vida é mesmo uma procura por perguntas, mas percebo hoje que há em certas pessoas o desejo apenas das respostas.
abraços e obrigado.

sandrio cândido. disse...

pensas como eu minha cara varda.

poeta do inverno. disse...

obrigado a todos que comentaram esta postagem e volto a me indagar sobre as perguntas e não procurar as respostas.

Mari Amorim disse...

brasa do tempo
acende quando passas
no pensamento

obrigada pelas visitas,
Boas energias,
Mari

Teresa Fidalgo disse...

Ao longo da vida, e atraves da experiência, certamente, vamos aprendendo, vamos respondendo a perguntas que outrora nos inquietaram... Mas muitas mais perguntas vamos encontrar, as quais teremos vontade de ver respondidas... A condição humana arrasta-nos para o mundo dos porquês, e ainda bem... isso fará de nós pessoas mais sábias.
Mas as dúvidas, essas, parece que vão aumentando à medida que vamos aprofundando os nossos pensamentos...
Poeta do inverno, apesar de novo, acredite que tem muitas mais dúvidas (e respostas) do que a generalidade dos seres humanos.
Abraços

sirlene disse...

talvez por este arrastarda condiçao humana aos porques é que me faz ser tão expectativo em relação a vida, somos humanos, demasiados humanos e assim pretendo viver a minha vida.

Lídia Borges disse...

É muito importante termos consciência que nunca obteremos todas as respostas, porque de cada uma surgirão muitas outras perguntas. Daí resulta a constante insatisfação do ser humano. Ainda bem!
"Um homem satisfeito é uma fonte que secou" - é uma citação, mas agora não me lembro de quem.

Um beijo

Tatiane Trajano disse...

Poeta do inverno que emana calor nas palavras.

poeta do inverno. disse...

obrigado tatiane, assim mesmo é que quero seguir na poesia.