5 de abr de 2010

Pedido a morte.

Cala-te,
ÉS pela ultima vez desejo.
Dou-te meu cantar ríspido
Como testemunha do meu ser
Assim como a pedra inerte
Testemunha o fluir das águas.

Antes de ti sou passagem
Depois sou apenas pó
Resto do que foi um mar.


Pela ultima vez és mistério
Porque em poucos segundos
Será rosto despido
Alma encontrada
Amanhecer
Tempo completo.

Não te faças de humilde
Apenas toma-me
Porque sei que me espera
Desde o meu primeiro dia
Agora é a tua hora...

Cubra-me com teus lirios
leva este corpo que te pertence
mas minha alma errante
permanece para sempre.

sandrio cândido.

11 comentários:

Poeta do Penedo disse...

Caro poeta do inverno
o corpo leva-o a morte.
O espirito, a alma, permanece na vida. A alma é a grande nobreza do homem. Melhor do que ninguém o Brasil o sabe.
Com amizade.

Dica Cardoso disse...

Queria ir-me também...
Mórbida leveza...estranha beleza...
Dúbio sentir ... Forte sutileza...
Grande e sincero!
Abraços no coração!

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Sândrio,
Faço-te eu um pedido: continue homenageando a poesia com versos dessa natureza, que a literatura (aqui e além) lhe será só rimas e agradecimentos.

Abraço poético,
Pedro Ramúcio.

poeta do inverno. disse...

a todos vós um imenso verso de abraço, es muito poetas.

Dois Rios disse...

"Antes de ti sou passagem
Depois sou apenas pó
Resto do que foi um mar."

Sublime!

Beijos encantados,
Inês

jorge manuel brasil mesquita disse...

sAUDAÇÕES E BOAS POESIAS POETA DO INVERNO. ESTOU NO

ETPLURIBUSEPITAPHIUS.BLOGSPOT.COM


nINGUÉM (jORGE mANUEL bRASIL mESQUITA)

Juliana Lira disse...

Arrepiei

Caro, vc nem imagina como eu gosto dos seus poemas, eles tem tanto sentimento...

"mas minha alma errante
permanece para sempre. "

Tenho certeza! tudo a morte pode levar, mas a alma de um poeta se etrniza num abraço com o Criador.

O corpo então vira apenas uma casca que esconde aquilo que só um poeta consegue mostrar:

A liberdade de uma alma que sonha...

Lindo!

Milhões de beijos

poeta do inverno. disse...

juliana querida, a nossa alma é o unico espaço onde somos livres, pois o corpo é a melhor forma de o homem perceber que não é o dono de si proprio, basta olhar o que acontece com o passar dos anos, mas a alma esta é livre.

e muito obrigado, eu escrevo para que pessoas possam refletir e é muito bom saber que alguem gosta.

saudações.

Lara Amaral disse...

Linguagem forte, Sandrio. Bonito poema, gostei daqui.

Beijo.

IVANCEZAR disse...

Gostei muito do poema - o ultimato ao desejo - muito bem construído. Parabéns !
Prazer em conhecer-te e passo a seguir-te, convidando-te também a seguir meu blog, para que possamos somar forças na divulgação de nossos trabalhos. Abraço !

Nydia Bonetti disse...

Vim agradecer a visita e gostei do teu canto, Sândrio. Fico sempre muito feliz quando encontro poetas jovens assim tão bons. Abraços.