9 de out de 2010

Deus.

Desde o tempo das horas incertas
Eu buscava a verdade do tempo
Sem saber que dentro do meu ser
Habitava a verdade que era divina.

Dos véus que teciam a grande cortina
Do templo das estradas infinitas
Dos versos a compor o poema
Do imenso teatro da vida.
[fostes tu o principio]

Desde as horas perdidas no tempo
Busquei nas paginas dos livros
A sabedoria que habitava enfim
No mundo que em mim se escondia.

Dos relógios cintilantes es o tempo
Da musica fostes a nota primeira
Dos anos que perduram na face
Do mundo que ainda se esconde
[fostes tu o principio]

Desde os versos não grafados
Busquei o segredo do amor
Hoje vejo que o amor que fica
É aquele que nunca possuímos.

Foi feito de símbolos a poesia
Da poesia nasceu a fé na vida
Da vida veio a fé em Deus
E de deus veio o mistério da vida.
[ e do mistério se tece a fé]

8 comentários:

José Carlos Brandão disse...

Um tema interessantíssimo, Sandrio. Deus ou a origem do universo ou o infinito que contemplamos pasmados - são a matéria maior da poesia.
Você realizou bem seu poema, aceitando o tema complexo, enfrentando-o.
Abraços.

Maria disse...

Amigo, comecei de forma maravilhosa o meu dia ao ler este seu poema divinal.
"Da vida veio a fé em Deus
E de deus veio o mistério da vida. "
Tenha um maravilhoso Domingo
bjs do tamanho do infinito
Maria

Janita disse...

Meu querido Poeta.
"Janita querida" duas palavras apenas e não imaginas o quanto tocaram fundo no meu coração!
Fico muito feliz por te ter de volta meu amigo e com este poema Divino.
Nunca permitas que a Fé te abandone, meu querido.
Ao longo da minha vida fui perdendo muito da minha fé nos Homens, mas nunca perdi a Fé em Deus. É Ele que nos envia tudo, nós só temos que estar atentos aos sinais e senti-los com o coração. Ainda que por vezes tudo pareça ruir à nossa volta, devemos manter a Fé e a Esperança.
Mando um beijo enorme para o outro lado do Atlântico e que ele vá pousar na tua face, levando o calor do meu afecto.
Janita

Insana disse...

Lindo poema.

bjs
Insana

Lara Amaral disse...

"Hoje vejo que o amor que fica
É aquele que nunca possuímos."

Sem dúvida...

Beijo.

Poeta do Penedo disse...

Caro Sândrio
Feliz regresso.
Acredito completamente que em cada um de nós vive uma centelha divina. Razão pela qual o amor é fundamental nas nossas vidas.
Parabéns.

Poeta do Penedo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sílc disse...

Sandrio muito lindo seu Poema. Me faz lembrar, sobre as Estrelas: "Levantai ao alto os vossos olhos e vede. Quem criou estas coisas? Foi Aquele que faz sair o exército delas até mesmo por número, chamando a todas elas por nome. Devido à abundância de energia dinâmica, sendo ele também vigoroso em poder, não falta nem sequer uma delas." Isaías 40:26.
Com amor e carinho,
Sílvia