31 de jan de 2011

Carol.

                                
                                                       perdi você tente entender ainda te amo...
                                  cláudia teles.

Cada olhar meu é um silêncio infinito
como alguem mendigando
a suave lembrança da eternidade.

As lagrimas são incapazes de curar
as feridas não cicatrizadas
e o tempo só me serve para lembrar.

Quando me sento na escrivaninha
e penso um poema
torna se pesada a vida,

Pois você está em cada verso
em cada estrofe
na palavra não grafada.

Vejo-me olhando os rostos
procurando entre eles
ao menos o vulto do teu ser.

Silêncio-me, nada me resta a dizer
porque todas as palavras
hão de cair no esquecimento.

Destes versos há de transmutar
nosso sentimento grafado
nos beijos almejados.

Sandrio cândido.


9 comentários:

Priscila Rôde disse...

O teu poema cheira a saudade...


Um beijo.

Insana disse...

fico sem palavras e com lagrimas nos olhos.

bjs
Insana

Lara Amaral disse...

Muito belo!

Beijo.

Sandrio cândido. disse...

Sim, priscila o passado cheira a saudade e quando falamos de um amor qu foi e não se foi, é inevitavel que a saudade não exale seu pefume em nós.
abraços

Sandrio cândido. disse...

Obrigado lara e insana. Estas lagrimas eu tambem as tive um dia. beijos

Daniele Barizon disse...

Olá!! Gostei e sigo!!

Bjs!!

Dois Rios disse...

Oi, Sândrio!

Teu belo e triste poema é daqueles que tocam fundo a alma.

Quem nessa vida já não sofreu por um amor que partiu e ficou? É como se a alma se fragmentasse em mil pedaços e nunca mais encontrasse a parte que lhe falta.

Um amor verdadeiro smpre leva um pedaço de nós.

Beijo,
Inês

Camila Lourenço disse...

Sandrio
Lindo e triste seu poema.
E mais triste fico ainda em saber quanta tristeza há nos corações quando o assunto é amor.
Mas, o que seria pior? Ter algo do que se lembrar e poder sentir tristeza ou não ter lembranças e nem nada para sentir?

Acho que não sentir nada é um castigo maior.Sinta-se privilegiado.

Beijo!

Sandrio cândido. disse...

Claro, ao menos sabemos que algo restou, nem que seja simples veros camila.
obrigado inês pelo belissiomo comentario.
seja bem vinda daniele.
saudações