29 de mar de 2011

Concepção

Nas gaveta do meu quarto há muitos retratos
um pouco de mim ficou grafado naquelas imagens
nos becos onde passei minha infância
ficou um pouco dos meus sonhos.

Na menina da janela ficou um pouco de mim
e a janela se abriu para outra possibilidade
o piano da saudade foi juntando as notas
e um pouco de mim ficou na canção.

No cinza da cidade não se escreve poemas
mesmo quando o céu de pipas surge
desafiando o escuro da vida urbana
sempre fica um pouco de mim na cidade.

Inacabado eu fui me perdendo nos passos
que na poeira da estrada vai ficando
um pouco de mim fica nos rastros
nas pegadas que no tempo fui grafando.

Cortei meus galhos, meu caule se perdeu
foi preciso que eu descobrisse meu nada
fui perdendo-me nos sonhos frustrados
mas só assim eu pude encontrar-me.

Fui passando pelos rios do tempo
em mim foi ficando as marcas da existência
e quando me descobrir animal
é que me tornei um ser humano.

Depois de ter escritos meus poemas
e deitado a toalha dos anos vividos
fotografei-me e nas paginas da saudade
grafei a vida, um poema inacabado.

Sandrio cândido.

13 comentários:

Janita disse...

Querido Sandrio.
Tens a capacidade de me surpreender a cada passo.
Aos poucos, através dos teus poemas, vou redescobrindo um amigo mais maduro, mais seguro de si e com uma lucidez perfeita do mundo que o rodeia.
Gostei muito deste poema.
Abraços meu querido.
Janita

Juliana Lira disse...

Sandrio

Sempre fica um pouco de nós em cada coisa, em cada lugar, em cada pessoa...Não é mesmo?

Mas nunca ficamos vazios, porque fica também um pouco de cada coisa, lugar e pessoa dentro de nós.

Tenha certeza que tenho um pouco de vc aqui dentro.

Milhões de beijos

нєllєи Cαяoliиє disse...

fotografei-me e nas paginas da saudade grafei a vida, um poema inacabado.
Quão profundidade desse trecho,tocou-me não sei porque,talvez porque saudade seja tão somente as páginas mais presentes de minha vida.
Bela Poesia Querido Sandrio ;)
Beijos

Ilaine disse...

Obrigada, Sandrio, por me visitar.

Por onde passamos deixamos nossas marcas... um poema inacabado e passos...indeléveis. Beijo

Déborah Simões disse...

Lindo texto...
maravilhoso...

Lara Amaral disse...

Nossos pedaços por aí, um poema nosso em cada canto.
Muito bonito, Sandrio!

Beijo.

Malu disse...

Sandrio,


Poesia profunda e bela.
Nos toca a alma , sem dúvida.



Bjo e uma Noite de Paz.

Ítalo do Valle disse...

Ironia
O deixar ficar pra trás
Na canção, nos sonhos, na cidade
Faz-nos completos
Paradoxo
Do inacabado faz-se
Inteiramente belo
Em poesia.

Um grande abraço

Long Haired Lady disse...

a vida é um album de retratos , de pessoas que continuam ou não com a gente ao longo desta caminhada.

lupuscanissignatus disse...

ser

raiz

e

voo







*abraço*

Colecionadora de Silêncios disse...

Sandrio, querido amigo, vc é um grande poeta!

Gosto muito da forma como vc aborda seus poemas, da sua liricidade e dos ritmos entoados nos versos.

Belíssimo!

Beijos

A Escafandrista disse...

um pouco de ti ficou na menina, na canção, na cidade.. sempre fica um pouco de ti em mim tbm. Lindas poesias. olha só: ando de folga lá do blog devido a probleminhas de saúde, mas sempre to por lá vendo os comentários e agradecendo as visitas e o carinho que deixam no meu escafandro. Claro que não poderia deixar de passar por aqui né? ;) Bjs.

Carla Diacov disse...

tava lendo teu profile...eu também vejo uma igreja inserida nas realidades sociais de seu povo. E em realidades sócias, essa igreja é o que há de lindo em apontar esperanças...beijos.