27 de mai de 2011

Despedida

Éramos um só olhar a margem do rio Tejo
quando a areia adentrou os nossos olhos
e já não penetrei mais os teus olhos azuis.

Os sinos dependurados na capela tocaram
anunciando o crepúsculo dos beijos apaixonados
como se cada badalar fosse a marca da ausência.

Outra vez olhamos a distancia dos corpos
mas eles não pertencem a esfera do sentimento
o homem ama mesmo sem poder tocar.

Inesquecível instante em que as mãos 
e os passos juntos sob a chuva
grafaram no retrato da saudade o ultimo instante.

A grafia dos mudos olhares e dos beijos negados
é a grafia que o poeta sucumbido na lembrança
não consegue apagar das entrelinha solitárias.

Sandrio cândido

11 comentários:

Juliana Lira disse...

Olá Sandrio

Acho linda a forma como escreves. É de uma sutileza e doçura que chega a doer no peito. Talvez porque me identifico no meio dos teus versos.
Além de, claro, ser muito bem escrito.

Milhoes de beijos

Liene disse...

Torno-me muda diante do que leio. Talvez por não encontrar qualquer outra palavra que defina melhor o que sinto ou porque me vejo refletida em cada verso. Seja qual for a circunstância a dor do adeus é a mesma.

Silenciosamente, contemplo e assim permaneço...

Um abraço carinhoso

нєllєи Cαяoliиє disse...

e por mais que ele tente,não conseguirá apagar,não tem como...
Linda poesia,Sandrio!
Como sempre!
Um beijo e um doce fim de semana pra ti!

A Escafandrista disse...

que bonito, perto do tejo é? hunn.. isto me lembra algo.. saudades. bom final de semana pra ti, querido. ;)

Celso Mendes disse...

O poema é muito bonito, mas isto, em particular, achei perfeito:

"A grafia dos mudos olhares e dos beijos negados
é a grafia que o poeta sucumbido na lembrança
não consegue apagar das entrelinha solitárias."

Abraço!

Camila Lourenço disse...

Dolorido e lindo.

Sam disse...

que se despeçam os desencontros
quando sabemos que no caminho
há de saber que algum encontro é inevitável
nos vãos dos tempos mil
que passam e repassam por entre os dedos
por entre os cílios dos pensamentos
dos séculos
amores.

Meu carinho, Sandrio.
Bom demais te ler.
Samara Bassi

Graça Pires disse...

Obrigada pela visita e pelas palavras deixadas no meu "Ortografia". Passarei aqui outras vezes.
Um abraço.

Lara Amaral disse...

Bonito, Sandrio! Vc tem uma delicadeza para adentrar nos sentimentos...

E obrigada por sempre deixar um gesto de carinho para mim no facebook e no Teatro, amigo!

Beijo.

por Hope* disse...

Sentido! #oamorarde
Muito bem escrito, é a sabedoria de brincar com as palavras!
Vim te trazer meu novo endereço, o blog mudou de casa...

Entre lã & Off!
http://entrelaeoff.blogspot.com

Bjoo!

Malu disse...

Sandrio,


Versos lindos, carregados de uma doce melancolia ...
E nas entrelinhas , muitas vezes, dizemos o que não escrevemos.


Bjo e uma Noite de Paz.