11 de mai de 2011

Lembrança de um encontro

 I
Distante estará os nossos rostos, ao longe
onde o verso da eternidade cobre o tempo
com sua tinta de sonhos emoldurados.

Lembraremos de toda a antiga janela
onde nossos olhares se encontravam
na esperança do toque entres lábios calidos.

Suavemente percorremos a margem de um rio
e descobriremos que a vida é a metáfora
de um rio em constante fluir...

Percorrei o teu corpo, pela primeira vez
não sentirei vergonha de desejar-te
mas saberei que os corpos enganam-se.

Pois já não seremos aqueles jovens de antes
mas em nossos corpos estará guardado a sombra
                                     [de nossos  amanheceres]
pois estaremos no crepúsculo de nossos tempos.

Lembraremos as mãos sobre os cabelos
quando a chuva tocava os nossos olhos
Lembraremos as rosas espalhadas sobre a cama
onde nossos corpos de doavam ao outro.

Lembraremos o dia em que o poema do amor
escrever para nós o seu ultimo verso
mas saberemos que foi neste dia que descobrimos
que a eternidade sempre foi o instante
II

O instante do beijo
do abraço
do olhar.

O instante de sentir
o teu perfume
o teu beijo.

O instante  em que caminhávamos
sob a luz do amanhecer
no jardim das rosas vermelhas.

O instante em que nossos corpos
transformou-se em um só apenas
próximo ao lago de águas claras 

O instante em que nos amamos
sob os lençois azuis 
das nossa cama.

sandrio cândido

5 comentários:

Déborah Simões disse...

Lindo...
Como sempre tudo lindo por aqui...

Long Haired Lady disse...

esses instantes são eternos!

A Escafandrista disse...

adorei as tuas ultimas postagens, em especial, o poema #1. Incrível que és, adoro mergulhar no teu universo. Beijos!

Amanda Lemos disse...

Gostei bastante do Blog, :)
Muito interessante !
Deixo o meu aqui, caso queira dar uma olhada, seguir...;

www.bolgdoano.blogspot.com

Muito Obrigada, desde já !

Juliana Lira disse...

Sandrio

Que bom que escreves assim!Tao doce e ternas sao as tuas palavras. Nao sei se quereria ver um amor há muito distante. Talvez preferisse mante-lo estático na memoria.As lembranças da memoria sao sempre tao cálidas pra um coraçao, agora, vazio...

Milhoes de beijos