8 de jun de 2011

O ser

A maioria destas pessoas vive porque respira. o ser 
humano atual não ouve o grito de sua maior crise.
cala sua angustia porque tem medo de se perder num
emaranhado de duvidas sobre seu próprio ser.
Augusto cury. 


Uma palavra me  basta-esperança 
ainda que presa a ilusão dos sonhos.

Dentro do meu ser habita castelos medievais
junto a prédios e pontes.
A arquitetura da minha vida
surge do desenho imprevisto.

Não visto o traje do tempo moderno
vitrines não me fascinam
pois sei que o único traje humano
é feito de terra, de luto.

Adentro-me, em meus túneis,
no silêncio das minhas horas
encontro o verso que me define
ouço-me- doida voz do meu ser.

Já não me procuro nos espelhos
as praças perderam-me
nas ruas deixo apenas o rastro,
habito-me, onde só eu me conheço.

O meu fim é o meu inicio
onde o poema brota com a dor
onde o verso da morte caminha
junto aos meus passos futuros.

Sandrio Cândido





9 comentários:

♥ κєκєl ♥ disse...

E QUE TUA ALMA SAIBA SEMPRE POETAR...SÓ ASSIM TERÁS ESSÊNCIA E SABERÁS VIVER INTENSAMENTE. ASSIM VI TEU POEMA...INTENSO!


PASSANDO TB PARA DIVULGAR UM TRABALHO EDUCACIONAL


Olá
Você sabia que LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), que é o idioma em que os surdos se comunicam, é a segunda língua oficial do Brasil?

Com objetivo de expandir a língua de sinais um grupo de professores e alunos da escola Lauro Müller em Florianópolis criou o BLOG VEJO VOZES e por conta disso estamos aqui lhe convidando para fazer parte da nossa história.

Se você entende que nosso país precisa de educação com qualidade e que a inclusão é um direito de todos, venha nos conhecer. O endereço é:

http://eeblmlibras.blogspot.com/

Abraços fraternos

нєllєи Cαяoliиє disse...

"O meu fim é o meu inicio
onde o poema brota com a dor
onde o verso da morte caminha
junto aos meus passos futuros."

O tudo e o nada,o Sentir e o viver!
Adorei esse trecho.
Como sempre,belíssimo querido Sandrio!
Um beijo

Catia Bosso disse...

Um excelente desfecho se fez no seu poema... parabéns! Adorei.

bj

Celso Mendes disse...

Um poema intenso, onde a eterna busca do ser se mostra de maneira muito coerente.

gostei bastante!

abraço!

A Escafandrista disse...

intenso e profundo, como tudo o que escreves aqui. Abraços, amigo escafandrista.

dade amorim disse...

Um canto para a realidade mais dura da vida, e um belo final.

Abraço grande.

Malu disse...

Sandrio,

Sempre belos e intensos os seus versos...
Também creio que fim e início se misturam e se tornam um só momento.


Bjo e um Dia de Paz.

нєllєи Cαяoliиє disse...

Sandrio,Querido
Passando para agradecer pela força de tuas palavras,é gratificante ver que nessas horas sabemos que temos com quem contar.
Que Deus te abençoe grandemente!
Beijos

silas disse...

Oi tudo bem? Muito bom seu blog e também os posts, dizem que todo blog tem traços do autor, melhor ainda é fazer aquilo que gostamos...enfim...tudo de bom e sucesso com o blog.