13 de jul de 2011

Um poema a Nydia Bonetti



Sob estes  teus versos grafados no crepúsculo 
Repousa  a  saudade da longínqua pátria. esmiuçada
No agora de seu tempo presente. seus lábios, 

Ensaia uma prece antiga- de homens que erram- 
Como se desde antes soubesse da dor humana 
Aquela onde roubaram lhe de si mesmo. Esvaziar-se, 

Das vitrines que acompanham tua coreografia. Em tempos 
Modernos urge preencher-nos de nós mesmos. Enfim 
Parece ao poeta ser tempo de possibilidade. Cria-se, 

Um poema onde não cabe dizer tudo, pois a palavra
Não é capaz de abarcar toda a travessia, diz-se algo 
Mas tantos são os olhares e penetrar a palavra inacabada. 

Estes teus versos cansados, deitados na árida poeira 
Parece o oásis  no qual descansa a frágil rosa.Como 
Um adulto a mendigar a criança dentro de si. O poeta, 

Sabe da solidão dos homens de guarda chuva. Neblina 
A encobrir na noite os corpos cansados. Moldura a 
Revelar que além de si existe um retrato. Sabe o poeta 

Que nunca caberá em seu poema o mundo. Pois o mundo 
É dizível apenas ao olhar.Mas vale a pena cantar enquanto 
No Poema um horizonte além do asfalto couber. 

Sandrio Cândido 



15 comentários:

Vieira Calado disse...

Já conhecia a autora.

Mas não conhecia o poema.

Obrigado.

Um abraço

Juliana Lira disse...

Que homenagem linda! Que dom maravilhoso vc tem.

Milhoes de beijos

Tania regina Contreiras disse...

Sandrio, um espanto sempre te ler. A poesia está no angue. E a homenagem é bem merecida a Nydia.
Beijos,

dade amorim disse...

Seus poemas são sempre de muita sensibilidade, Sandrio. E Nydia merece e deve ter gostado muito da homenagem.

Um grande abraço.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Lindo Sandrio, vc conseguiu expressar essa coisa tão difícil de dizer que causa cada verso de Nydia

Grande Beijo

Celso Mendes disse...

Que lindo poema, Sandrio! Uma homenagem a altura da grande poetisa que é a Nydia.
O poema nunca caberá no mundo, mas adentra fundo na mente dos leitores. como me aconteceu agora. Parabéns, poeta!

abraço.

Dois Rios disse...

Em tempos modernos urge preencher-nos de nós mesmos.
===
A palavra não é capaz de abarcar toda a travessia.
===
Pois o mundo é dizível apenas ao olhar.


Absolutamente belo, Sândrio! Até então não conhecia a poeta Nydia Bonetti. Vou pesquiar!

Esses versos são um verdadeiro oásis no qual descansa a frágil rosa.

Beijo,
Inês

Lara Amaral disse...

Linda homenagem!

Gostei muito mesmo, Sandrio, parabéns pelo poema.

Beijo.

nydia bonetti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
nydia bonetti disse...

Sandrio, repetindo Tania, tua poesia também me espanta. Tem uma profundidade e um tom que raramente se encontra. Gosto muito, muito. E esse poema pra mim... Contemplo - "Pois o mundo
É dizível apenas ao olhar" - "dos que conhecem a solidão dos homens de guarda chuva". Que imagens...! Honrada em receber um poema assim... Hoje, dois poetas me deram um recado - "é preciso seguir cantando". E eu vou... :) Beijos, obrigada, Nydia

Janita disse...

Querido Sandrio.
Só tu saberias escrever com tanto talento e sensibilidade um poema tão belo para homenagear uma amiga.
Gostei demais. Linda homenagem.

Beijinhos meu querido amigo.

Janita

Graça Pires disse...

"mendigar a criança dentro de si" e saber que a Pátria é o lugar que escolhermos... Um poema excelente de uma autora que desconheço. Obrigada pela partilha.
Beijos.

Analuz disse...

Finalmente consegui vir aqui e retribuir os sorrisos deixados no Luz!

Belíssimo teu canto!

Beijinho com encanto!

Camila Lourenço disse...

"Mas vale a pena cantar enquanto
No Poema um horizonte além do asfalto couber"


Sim...vale. Por vc continuar acreditando, outros reservatórios de fé de fé são também abastecidos.

Bjo saudoso.

Bruno Soft disse...

Poético Menáge