27 de dez de 2011

Acalanto para uma estrela alagada

Desde cedo descobrir nos olhos uma estação rodoviária
antes deles acenderem lâmpadas em templos de bronze
quando teus lábios assopraram nos vocábulos de água

as minúsculas  formas do livro  do Gênesis. eu lembro
de cultivar entre os dedos uma flor obscura, sua forma
apossou-se do meu corpo. Deitou sobre os meus lábios
até fazer do meu rosto um acalanto para os dias negros.

Desde cedo descobrir no peito uma estrela alagada por
águas que escorrem sem trajeto.Fazem-no a cada pedra.

Sua força bate contra os homens esquecidos a margem
junto a relva onde seca os frutos não colhidos. Todos os
homens já desejaram colher esta estrela dependurada

todas as bocas já pronunciaram teu nome. O mito diz
que em algum lugar é ela que acendeu chamas em barro,
entretanto hoje o fogo ainda queima, mas distante.

Toda estrela deveria ser um mar de luz onde naufraga o
rosto dos místicos. Mas a estrela que adormece no peito
é um mar de água onde emerge corpos naufragados

mas eu só reconheço as mãos. Não sei bem mas talvez
seja despido de rostos, em seu espaço há uma veste de
palavras. Corpos de antigos poetas, crianças perdidas.

Sandrio Cândido.                                 

7 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

belíssimo Sandrio! que a poesia se faça cada vez mais presente em tua vida e que 2012 lhe traga muitas felicidades! beijos

Celso Mendes disse...

Alagando o peito de estrelas e se abastecendo de luz e de energia. É assim que sua voz ecoa e é assim que desejo a você um 2012 repleto de poesia, de paz, de luz e de alegrias.

Grande abraço, Sandrio!

Livinha disse...

Sandrio,

Queria ter aqui chegado antes mesmo do natal,
mas assim não me foi possível, quando o tempo
tão surpreendente mantém o controle de tudo e
nunca sabemos como será o amanhã...
Por essa razão, perdoe-me a falta.
Hoje porém não poderia de forma alguma deixar
de vir, agradecer o carinho e os felizes encontros
apreciativos nas trocas de nossos encantos, pensamentos
e sentimentos que por todo o decorrer do ano, pudemos
de alguma forma acalentar os nossos anseios...
Obrigado pela sua amizade, e pelas palavras que
aqui no seu recanto, prestigiaste a todos que te abraçam
nessa troca maravilhosa de força e incentivo.
Desejando-te um feliz 2012 como muita paz, saúde
e alegria no teu coração...

Com meu mais precioso carinho
Livinha

Fred Caju disse...

Chegando hoje no seu espaço e pela quantidade de conhecidos nas sessões de comentários, já se que a qualidade é boa.

Abraços,
Caju.

Jorge Pimenta disse...

mesmo quando tudo o mais é baço ou impercetível, uma certeza: "eu só reconheço as mãos".
que as tuas mãos te levem para onde mais desejes em 2012, sandrio!
abraço!

maria azenha disse...

Feliz Ano Novo.
Felicidades.

Concha Rousia disse...

Sandrio o teu poetar está povoado de imagens de mundos sonhados ou vividos ou inventados, em todo o caso os tus mundos líricos convidam a contemplar toda a beleza da tua profunda escrita, abraço grande, Concha