19 de mar de 2012

Nydia

"...desde cedo eu me preparo para vós 
e permaneço a vossa espera"  
Salmo 5

Estende tuas mãos ao sol que atravessa as folhas da noite
é inverno. 
Distante cavalga a aurora
na cauda das estrelas cadentes 
amanhece 
temos raízes fincadas na terra
e o coração saltando no nada.
Adormeça.
Sobre o teu travesseiro de pedras deixai deitar os ouvidos 
ouça
sussurra as maças caindo para dentro do seio da terra
uma selvagem canção 
dedilhada pelas mãos que concebem alguma ponte. 
Afundam pregos para dentro da garganta dos violinos 
cavalgam soldados dizimados
bombas explodem nos telhados de vidro
abre-se uma cratera para dentro do nosso peito. 
Somos como ostras
perolas fechadas no oco do tempo
solitárias ondas quebrando nas praias.
Somos apenas a lembrança da eternidade 
entretanto 
ainda somos capazes do amor...
Folhas mortas abandonam cinzas no coração do outono
deram-nos um corpo atracado no porto
deram-nos a carne
e o rosto dentro do espelho denuncia 
estão drenando o fogo dos nossos olhos 
fomos batizados nas chamas 
consumidas agora nas águas mansas e salgadas
de uma fotografia sepultada na memória...
É distante a morada  do norte  tragado no silêncio 
e tão próximo como o vento oriente. 
Fomos embriagados pela sonolência das horas 
já estão batendo em nossa porta 
afunda as tuas mãos na areia que salta do teu corpo 
deixai os poemas engravidar de luz os corpos 
anoitecidos nos cais.
O amanhã entardece em nossos passos cansados 
é noite 
os relógios passeiam sobre as nossas pupilas 
concebemos a ponte 
dá-me tuas mãos
façamos a travessia 
juntos habitaremos o coração do horizonte
naufragamos todos no vazio do oceano.

Sandrio Cândido 


6 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Belíssimo poema (já o vejo com a mrca firme do poeta Sandrio) e uma homenagem a Nydia, que, sem mais palavras, merece!

"ainda somos capazes do amor..."

Beijos,Sandrio

Andrea de Godoy Neto disse...

Sandrio, poema imenso! desses que me deixam tonta, embriagada de versos e imagens belíssimas...

bravo, poeta! mergulhei fundo aqui :)

e a Nydia merece todas as homenagens.

beijos

dade amorim disse...

Muito lindo o poema dedicado à Nydia.
Ela merece e muito, por sua sensibilidade, sua capacidade de entender e de construir aqueles poemas maravilhosos que conhecemos.
Abração.

nydia bonetti disse...

Sandrio, ouvi ecos - fortes - dos meus poemas por aqui. Acho que ninguém nunca me leu assim, tão intensa e profundamente. Hoje troco o meu travesseiro de pedras por um de plumas - há uma travessia a ser feita - e precisamos estar prontos. Tão longe o coração do horizonte... tanto a navegar. E se não fôssemos capazes do amor - que sentido haveria nas esperas, no cansaço, na longa e incerta travessia... Um beijo grande e emocionado, nesse poeta que a cada dia mais admiro. Nydia.

Roberta disse...

Realmente, a Nydia aqui ecoa lindamente, e teu poema nos atravessa com o gosto da oferta, da capacidade do amor e da espera. Grande poema, Sandrio. Me emocionou. "Naufragamos todos no vazio do oceano". Abro os braços. Há braços. :)

Lara Amaral disse...

Há muito dessa leveza da Nydia no seu poema, além, é claro, da profundidade, desse olhar que se arrasta por paisagens e nos apresenta mundos diversos.

Lindo, poeta!

Beijo.