28 de abr de 2012

Poesia contemporânea: Roberta Tostes Daniel

1.Fugaz

Fugir de todos os poemas,
escrever cada canção
desacontecida.

Deitar horizontes
na velha cama
sem jornada.

Noite e dia,
forjar palavras
no mar sem dono.

Voz a inaugurar
(n)o vazio
mesmo

com que se toca,
quente, palavras
como arrebol.

2.Do tempo,espero...

Do tempo, espero
A nudez de um corpo;
Transformado em espaço,
Um rosto.

Imagens que deponham dias,
A estudada geografia
De um torso
Exausto,

Sonhando tocar
A simultânea ausência,
Região do mais etéreo encontro:
Eu, o tempo; tu, o espaço.

Povoaríamos a casa
Com a nudez das paisagens
Sem paisagens,
Coexistindo no absoluto

Silêncio destas memórias:
As palavras, sem palavras.
As mãos de colher mentiras
No dorso da história.

Puro movimento:
Percorrer o desejo;
Somos, teríamos sido
A casa, farol de doenças.

E o riso que déssemos,
Rasgaria o tempo, recuperando
O que talvez tenhamos sido:
Simples, como a morte.

Teu corpo ou tua casa
Mediriam os caminhos.
Morrer, à sombra da origem,
No teu lugar, todas as horas.

3.Quando nas praias…

Quando, nas praias, o alvo
é o imenso deserto.
Branco da espumareia:
insonoro oásis, sem fetiches,
sons desvanecidos.
Pálidos, os corpos submergem
na inaudível paisagem
desabitada dos sonhos.
Áridos, os sonares emitem
surdos encontros.

Roberta Tostes Daniel publica seus poemas no sedemfrenteaomar. Escreve como se fosse um delicado fio prestes a se romper. Seus versos parecem ter uma esperança melancólica, como se fosse ondas quebrando em uma praia distante. Sua poesia parece inaugurar lugares perdidos na memoria. Uma das poetas contemporâneas que mais fascina pela suavidade e ao mesmo tempo agressividade com a qual se expressa.

4 comentários:

Roberta disse...

Sandrio, gostei da escolha dos poemas. Mais, das suas palavras. Uma honra ser lida por você de modo tão atento. "Um delicado fio prestes a se romper", "ondas quebrando em uma praia distante", a "inaugurar lugares perdidos na memória", essa região de "suavidade e ao mesmo tempo agressividade" da expressão poética. É uma leitura muito sensível e bonita; espero, sim, às vezes conseguir chegar nesse lugar. Que bom que enxerga isso. Obrigada pelo espaço, pelos olhos de poeta. Bjos.

dade amorim disse...

De acordo, Sandrio! A poesia de ROberta é sempre sensível, linda e delicada.

Parabéns e beijos aos dois.

Concha Rousia disse...

Obrigada Sandrio por compartilhar estes belos poemas de Roberta Tostes a que eu não tinha a sorte de conhecer, adorei, que bom ter vindo, depois de tanto tempo que andei meio ausente... Abraço grande em tua alma de poeta e amigo, Concha

Carla Diacov disse...

então é da Roberta?


de qualquer maneira...minto!
duma maneira toda brilho, tua página e conteúdo me seduz!



beijos!