11 de mai de 2012

Poesia contemporânea: Lara Amaral

1.Amargo Lar

A casa desmorona
sei, pois as torneiras pingam
há um ar de assombro
e rachaduras pelos cantos

A casa sente o peso da idade
cada porta que abro
ela arria
cada janela que fecho
uma saudade

A casa mal deixa o ar passar
entre os aposentos
olho o céu, a cabeça destelhada
o lar já se foi há tempos

2.Por que me abandonaste?

O Sacrifício é o de todos
é o de cada dia

cada um por si
no seu desconfortável
leito de cruz

alguns rezam
alguns oram
alguns choram

ninguém escuta

3.Ventania

algo importante para ler
e tanto vento lá fora
se chover quem colhe
as roupas todas no varal?

é tanto cheiro de terra
avoada
a rotina é jornada
entre a música de folhas
roçando-se no chão
e as embaçadas letras
de algo que se deva ler

ou foi sua imaginação
ou algo tramou aquele vento quente
que foi arrepiando aos poucos
trazendo redemoinhos
quanto alvoroço

lá fora, meu deus, há tanta vida
e tanta falta de sentido
no que nos é obrigado
a fazer

4.Traça. do destino

enquanto caminho
apago as linhas a giz
dezenas de bifurcações
uma escolha
não é como brincar de amarelinha
posso pisar ou não a linha
só não há como voltar e começar de novo

escuridão à frente
não há luz, nem túnel
algo prende minha cabeça
um cabresto
me permite olhar às vezes para o lado
mortalmente para trás
à minha nuca, um suspiro gelado
nos meus ombros, uma mão fria acalenta
a morte
mostra-se uma opção às costas
para quando chover demais
[apagando-se as linhas]
e eu quebrar o pescoço para encará-la.
Lara Amaral escreve com a melancolia de um crepúsculo fechando as pálpebras da vida. Seu tom poético traz uma melancolia suave em cada poema. Mais poemas da autora em: Teatro da vida.

6 comentários:

Lara Amaral disse...

Obrigada, poeta! =)

Beijo.

Tania regina Contreiras disse...

Ela é maravilhosa, Sandrio! Essa melancolia na poesia da Lara tem cheiro de intimidade. E me é tão íntima essa poesia...

Beijos,

Patricia Thomaz disse...

Não conhecia. Encantada. beijinhos

Janita disse...

Todos os poemas são de uma beleza que enternece.
Obrigada, por os teres partilhado connosco, querido Sandrio.
Um beijinho para ambos.

Janita

Samara Bassi disse...

Um primor!

Beijo aos dois queridos.
Sam

Sandrio cândido. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.