27 de mai de 2012

Poesia Contemporânea: Wender Montenegro



SOMBRA DE SAL E SILÊNCIO

Não dizer palavra...
Deixar o silêncio plantar sua nódoa
na cinza dos olhos.
E uma sombra há de vir,
insustentável,
e despojada de dor e remorso e cansaço
trará numa das mãos linho novo,
alfazema;
na outra, conchas de praia deserta,
frutos da estação,
e ainda sem dizer palavra
acenderá os cílios com o sal das águas
de uma outra concha,
essa mão que rasgará silêncios,
tatuando na pele uma palavra gasta.

REPAROS

A alma está suja
nenhuma orquídea no peitoril dos olhos
as heras se espalham
no muro dos lamentos da lembrança
sonhos pendem das vigas,
casas de maribondo abandonadas.
Há um mofo que engole os gritos abstratos
desse peito gasto,
paredes rachadas como se feridas
por um anjo morto
desses que fendem os séculos.
Só o silêncio arrulha nas gaiolas
e os fantasmas segredam,
no alpendre do tempo,
estranhas litanias
a essa lama de vida nas calhas
da piscina em lodo
onde o sol não nada.

DE CHOROS,SARGAÇOS E AVENCAS

chorar
chorar tão longamente
como se a infância nos regasse ainda
como se o choro contivesse em si
o instante mesmo do parto do mundo
a ternura crescendo entre avencas
brotando dos olhos dos homens

chorar tão longamente
como se ainda nos legasse a infância
velhos desejos veleidades sólidas
apedrejadas pelo peso do nada

chorar tão longamente
até que a dor arraste para o fosso
o sal da culpa os sargaços
filhos do choro das pedras
e a compaixão nos conforte em silêncio

chorar tão longamente
as borboletas pousadas nos olhos
e um soluço líquido incontido
arrebentando a represa das mãos

o meu primeiro verbo foi
chorar

Wender Montenegro é um imenso poeta e amigo. Publicou o livro Arestas e nos promete lançar em breve o Casca de nós. Sua poesia é um tecido desértico abrindo-se como pequenas gotas de sal. Penso que ele possui uma das mais belas vozes contemporâneas. Mais poemas Aqui: wendermontenegro

4 comentários:

Lara Amaral disse...

O Wender é dos melhores poetas que já li, além de me parecer uma pessoa muito sensata e simples. A poesia dele é viva, pulsa, pode ser lida daqui há séculos e terá a mesma força.

Beijo, Sandrio, parabéns pela seleção.

Wender Montenegro disse...

‎Sandrio Cândido, meu amigo, fico muito feliz que tenhas plantado meus poemas nessa terra de alma e rosa! Parabéns pelo belíssimo blogue que cultivas, poeta! Muito obrigado!

Grande abraço do
Wender

Wender Montenegro disse...

Lara Amaral, minha querida amiga poetisa, suas palavras têm uma enorme força de incentivo a este simples [e não sei se sensato :)rs] poeta, que conta com a alegria de sua amizade! Não imagina como me sinto bem ao saber do valor que vc atribui à minha poesia!

Muito obrigado, Lara!

beijo do
Wender

Carla Diacov disse...

uau!
não conhecia!


já linkei e tô lambendo aos poucos!


beijos!