4 de jun de 2012

Os amigos são passagens escavadas para o centro

A Daiane Ferraz 

"A Amizade é um amor que nunca morre" 
Mário Quintana 
Em muitas tardes enxergamos nossos desmanchares.
Um circulo de sangue circundar os olhos do sol.
Lá estávamos,
Sentados.
Ouvíamos uma cantiga de roda tombar o silêncio 
em nossos lábios cansados. 

Os amigos são estrelas palpitando em nossa gravidade
passagens escavadas para o centro. 

Chegam devagar
abrem um curso para o rio.
ajudam-nos a construir os nossos pomares. 

Abrem uma toalha de lâmpadas ao redor do coração. 
Sentam como se nunca houvesse partido 
depois escavam uma correnteza no curso do silêncio
regam um jardim em nossos corações 
até desabrochar uma flor branca em nossa boca. 

Os amigos batem a porta da nossa solidão
mudam-se em crianças correndo nos corredores da chuva 
caem em nossos olhos 
como se estivesse purificando-nos. 

As vezes quebram nossos galhos.
As vezes são pássaros 
e fazem ninhos dentro de nós 
quando partem 
os ninhos ficam como casas nubladas. 

Desarrumam os nossos quarto
Conjugam o nosso tempo 
plantam girassóis em nossas lagrimas. 

Os amigos dançam e cantam em nós 
suas canções são notas ensolaradas 
eles acendem o sol dentro do nosso coração,

depois partem 
esquecem a mesa na qual juntos celebrávamos...
Há muitas mesas em uma amizade,
só é amigo quem muitas vezes pôs a mesa conosco.

Os amigos sabem dividir o mesmo prato 
depois o largam na cristaleira 
junto à comunhão dos empoeirados. 

Dizem os solitários:
_ Toda amizade há de habitar no passado
e o passado é o idioma da saudade. 

Sei que também habitarei outras casas. 
Digo-te: 
_ Um dia encontrar-nos-emos no caminho 
dar-te-ei algumas palavras molhadas 
junto a este poema inacabado.

Tu devolverás o que de melhor construímos juntos:
_A amizade!

Sandrio Cândido 

3 comentários:

Leonardo B. disse...

[esses amigos,

decalcados da estrela que não se apaga, em cada momento ilumina mas não arde,

são a alma.]

um imenso abraço, Sandrio

Leonardo B.

Samara Bassi disse...

Mas isso é um primor!
Uma lindeza sem igual.

Sua forma de entrelaçar palavras sempre me sensibilizou e nesta escrita senti muito o que se diz que a amizade é um daqueles amores de verdade.

Um beijo na alma, querido,
Sam.

marcio_LG disse...

Tive vergonha de mim ao ler teu poema. Depois, tive imenso orgulho de poder entender tuas palavras... Depois, aquietei, com a sensação de quem transforma teu vocabulário em gestos.