25 de set de 2012

Poesia Contemporânea: Nydia Bonetti

I

Um Deus silencioso nos impele
a compreender a linguagem dos sinais.
Há em tudo um sentido : velado
à espera de quem melhor o traduza.
O verbo – o do princípio - segue
desafiando
razão : descrenças : preconceitos
[loucura : crenças : prepotências]
nas noites mais escuras
pode-se ouvir um eco vindo de dentro
do corpo/templo
em que este Deus habita.
No tempo do silêncio dos homens.

II 

Meu encontro com o sagrado aconteceu bem cedo.
Menina ainda me dei conta
da força suprema que rege o universo
muito além
das fórmulas precisas
das incontáveis teorias que nos fascinam
e cegam
muito além
das teses filosóficas sempre tão vazias
que apontam para o nada — o absurdo de existir.
Há em tudo sentido
eu creio
no Deus desconhecido que se revela e se faz
homem
creio no Cristo, na sua hóstia consagrada
e me curvo
à bandeira do Divino quando passa
em procissão.
Creio
nos mistérios que não
se revelam — a não ser pelos olhos nublados
da minha fé.
Creio na Terra e seus rebentos
como eu — criaturas
e claramente posso ouvir um canto que não cessa
um mantra
águas do rio, vento
ecos e pássaros, bichos — música e vozes tantas 
num eterno e atávico louvor ao Criador.


III

raio de sol qualquer
faz despertar a flor. travestida
de pedra

Nydia Bonetti é uma poeta que de maneira simples me faz regressar aos meus interiores, onde pouso os meus olhos e descubro nas palavras uma fonte para descansar a vida. De uma leveza mística. 




3 comentários:

Assis Freitas disse...

muito bom, bom demais


abraço

Carla Diacov disse...

Nydia?
Vontade de bater, espancar Nydia com uma margarida!

Nadine Granad disse...

Gosto muito da poesia dela ;)