30 de out de 2015

orvalho sobre terra seca

Para  Marcos Paulo ( pequeno príncipe) Kika e Rogério, com carinho 

nascer é uma experiência do coração, uma experiência da beleza. nascemos todos os dias, dizem alguns. sem dúvida o ciclo da vida é um nascer e morrer, tudo pode ser uma metáfora destes dois momentos únicos na existência humana. breve como um raio de luz, grande como o universo! para algumas pessoas o nascimento é uma travessia, uma luta, uma conquista. é sobre um de estes nascimentos que desejo escrever agora.

esperamos tanto pela tua presença! agora o teu sorriso diz-me que valeu a pena. orvalho sobre terra seca, o teu sorriso, sol desabitando a madrugada. nasceste antes, pequeno príncipe, meu pretinho, nasceste bem antes do dia em que  vieste ao mundo, nasceste no coração ( e foram tantos)  a esperar ansioso e com medo. sim, havia medo, o medo de que não viesse. o medo de ocorrer o mesmo que havia passado antes, no entanto, havia a confiança.

o sofrimento, talvez não tenha sido sofrimento, quando se espera uma flor, não importa o suor do trabalho, quando sabemos que estamos a cuidar de uma vida, não importa o tamanho da dor. vieste antes pequeno guerreiro, eu pude ver que tu já estava presente nos olhos da minha irmã deitada sobre aquela cama. ali pude compreender o que é o amor- se bem que já tive várias visitas deste sentimento em minha vida- pude compreender a fragilidade e a grandeza do amor.
 
o amor é uma espera ansiosa, é um cuidar sem saber das certezas, é um ser para o outro, é um abandonar-se pela alegria, pela vida do outro. grande demais, imenso demais, parece, entretanto, em alguns momentos da vida nos é permitido contemplar isso de cerca. o amor também  é sacrifício, algumas vezes, mas sem esse sacrifício que feia a existência, diria um filósofo, que feio uma vida onde não tenha existido a luta, o cansaço, por amor. sem dúvida o amor é muito mais coisas, entretanto, naquele dia, nos olhos da minha irmã, pequeno guerreiro, pude ver o sacrifício, mas também a beleza de estar a espera de uma vida.

havia amor, muito amor nos olhos da minha irmã e do meu cunhado.  naquele corpo debruçado noite e dia na cama, levando dentro de si aquela vida que esperávamos ansiosos. como desejamos  o  passar o tempo para vê-lo. havia esperança e fé. eu que já havia presenciado tantos  discursos,  naquele dia, nos olhos da minha irmã,  pude testemunhar o amor, a fé, a confiança, a esperança.
 
guerreiro, pretinho, príncipe, são tantos os nomes oferecidos a ti, entretanto, o que tu ofereceste a nossa família é maior, ofereceste novamente a alegria de saber que é possível vencer, que é possível alegrar-se depois da dor, que as flores também nascem nas rachaduras, a certeza de que o amor é capaz de suportar os grandes limites da vida humana. ofereceste chuva para dias quentes, flores para um jardim em inverno, orvalho para terra seca. ofereceste esse teu sorriso- que eu ainda não conheço pessoalmente- e dentro do teu sorriso a alegria de saber que a vida venceu, que o amor venceu.  
 
quando nasceu a tua prima, Ana Julia, pude escrever no mesmo dia que o mundo já não era o mesmo, pois havia nascido ela. contigo tive que esperar em silêncio, tive que compreender toda a trajetória da minha irmã, tive que ir sentindo os espaços de alegria que foste abrindo em nossa família e principalmente no coração da Kika e do Rogério. foste para mim uma oração, sim pequeno príncipe,   tu é uma oração, um encontro entre a beleza de esperar e o profundo de amar.

agora que as palavras despertam em mim e sentindo a alegria de poder ser o teu tio, também aqui as escrevo. é um presente para a nossa vida, para a minha vida. hoje, quando sentado pensava na existência de Deus, lembrei de ti e da minha irmã. pois nestes momentos únicos, em que a misericórdia e o amor são mais fortes que a dor, perco as palavras e em silêncio sinto que habito a vida e habitando a vida descubro um mistério que não explico e diante dele apenas faço uma prece. muito obrigado ao sagrado, muito obrigado " pequeno príncipe". não tenho dúvida de que você, a Ana Julia são presentes para a minha vida e para a nossa Família. Bem vindos a vida, esperamos por vocês, obrigado por nascer.

Sândrio Cândido


 
 

Nenhum comentário: