25 de fev de 2016


estancadas trago em mim canções
aberto haver deveria a canoa
no chão de joelhos caminho

da noite escolhido
dos oceanos tragado a mística  

beleza alguma há em tudo
do mel a promessa na flor
da borboleta o êxtase na lagarta
 
se vê ao longe uma estrela ouve
em dezembro morrer é maior dor

com espanto a dor canto
viola me fez o tempo passando
idade carpiu da criança a pele

no peito dorme cigarra
do caboclo salmodia é milho
 
dos olhos  monturo chuva limpar
para lá das águas barco pode chegar?
reza em mim um rosário de sabiás


Sândrio Cândido in: MORAR (  em construção)

Nenhum comentário: